Qual a importância e como incentivar o controle do diabetes na sua empresa?

Mulher Diabética em uma consulta médica

08 de agosto, 2022

Mulher Diabética em uma consulta médica

O diabetes pode gerar complicações sérias sem o devido controle.
Entenda como as empresas podem ajudar ao incentivar o controle do diabetes.

Não é novidade para ninguém que o diabetes é uma grande preocupação de saúde pública: só no Brasil, são quase 17 milhões de pessoas com a doença. Tal dado faz com o que o país seja o quinto país com maior incidência dessa enfermidade, atrás apenas de China, Índia, Estados Unidos e Paquistão. Isso, como não poderia deixar de ser, traz prejuízos individuais, impactos para o sistema de saúde e custos extras para as empresas. Logo, todos devem se preocupar em encontrar formas de como incentivar o controle do diabetes.

Dentro das empresas, isso passa pela combinação de uma série de estratégias capazes de fortalecer bons hábitos, garantindo que todos tomem os cuidados necessários e adotem medidas de prevenção. Assim, será possível prevenir as principais complicações dessa doença e reduzir os custos diretos e indiretos dessas ocorrências.

Como o diabetes impacta na saúde?

Ao lado dos problemas cardiovasculares, o diabetes é uma das principais doenças crônicas não transmissíveis. Ela é caracterizada pela deficiência na produção ou na absorção da insulina, hormônio que permite que a energia proveniente da glicose seja aproveitada pelo corpo de forma apropriada.

O diabetes mellitus tipo 1 é considerado uma doença autoimune, em que o próprio organismo ataca as células do pâncreas, órgão responsável pela produção da insulina. É uma forma da manifestação da enfermidade menos comum e atinge sobretudo jovens. Já o diabetes mellitus tipo 2 é mais comum (corresponde a quase 90% dos casos) e se dá principalmente pelo aumento da resistência do organismo à insulina secretada. O principal fator de risco é a manutenção de um estilo de vida inadequado, composto por alimentação desequilibrada e falta de exercícios físicos.

Os sintomas do diabetes tipo 1 e 2 variam. No tipo 1 são mais comuns uma maior vontade de urinar, perda de peso, fraqueza e mudanças de humor. Já no tipo 2, os sintomas podem incluir visão embaçada, formigamento em mãos e dos pés e dificuldade para cicatrização de ferimentos. Todavia, cabe destacar que não é raro que o diabetes se manifeste de forma silenciosa, sem apresentar sintomas significativos por muito tempo.

As ferramentas para o manejo da doença envolvem o uso de medicamentos, a prática de exercícios físicos, uma dieta balanceada, a aplicação de insulina via injetável e o monitoramento periódico do nível glicêmico.

Sem o controle adequado, o diabetes pode gerar complicações graves, atingindo o coração, artérias, olhos, rins e nervos. Em muitos casos, as consequências exigem intervenções médicas complexas e são irreversíveis.

Quais as consequências disso para as empresas?

Uma vez diagnosticada com diabetes, a pessoa terá que lidar com a doença pelo resto da vida, já que a condição não tem cura. Isso, claro, não impede que ela viva uma vida normal, o que inclui, entre outras coisas, trabalhar. Portanto, é importante que as empresas estejam preparadas para lidar com as particularidades da doença. Isso envolve propiciar intervalos diferenciados para que a pessoa com diabetes possa fazer as aplicações de insulina (quando necessária), a medição do nível glicêmico ou ainda a alimentação nos intervalos apropriados.

No mais, as empresas podem sofrer com as consequências das complicações do diabetes: sem o acompanhamento adequado, pessoas que sofrem com essa condição estão mais sujeitas a faltar no trabalho para comparecer a consultas (de rotina ou não), ter perdas de produtividade em razão dos cuidados com a saúde, além de gerar custos adicionais com a sinistralidade do plano de saúde.

Vale sempre reforçar que pessoas com diabetes não devem sofrer nenhum tipo de discriminação no trabalho e devem sempre receber o apoio para alcançar uma rotina saudável, que reduza o risco de complicações.

Leia também: Quais os custos das doenças crônicas para os sistemas de saúde?

Afinal, como incentivar o controle do diabetes na sua empresa?

Boa alimentação e cuidados com a diabete

O controle adequado do diabetes passa pela adoção de hábitos saudáveis, além das intervenções farmacológicas e o acompanhamento do nível glicêmico. Nesse sentido, as empresas podem investir numa série de ações para incentivar tal cuidado.

1. Identificação dos colaboradores com diabetes

Em um primeiro momento, é importante reconhecer e acolher os colaboradores com diabetes. Dessa forma, fica mais fácil mapear a prevalência da doença entre o quadro de funcionários. Além disso, esse rastreio pode apontar aqueles com maior propensão a desenvolver a condição, que em muitos casos já podem apresentar indicadores compatíveis com o pré-diabetes.

2. Disseminação de informações confiáveis

Para fortalecer os cuidados e reforçar a importância da prevenção para evitar complicações, use os meios disponíveis para disseminar informações de qualidade. Assim, eles serão capazes de tomar melhores decisões a respeito de sua saúde e trabalhar o autocuidado com mais consciência.

3. Estímulo a hábitos mais saudáveis

Muito do que é necessário para controlar o diabetes pode começar dentro da empresa. Mesmo atitudes simples, como exercícios em grupo ou o acesso a opções mais saudáveis de alimentação já fazem diferença. A partir disso, os colaboradores podem levar o incentivo recebido para fora do local de trabalho, dando continuidade aos cuidados necessários.

4. Monitoramento adequado

Felizmente, as ferramentas de monitoramento estão cada vez mais práticas e eficientes. É possível, por exemplo, acompanhar de forma constante o nível glicêmico por meio de um sistema de monitoramento contínuo. Além disso, terapias digitais promovem, de forma mais eficiente, mudanças de hábitos e aumentam a adesão aos tratamentos.

Com isso, além de incentivar o controle do diabetes, as empresas devem acompanhar esses indicadores de perto e orientar o encaminhamento para acompanhamento do profissional sempre que houver sinais que podem apontar para complicações devido à doença.

Aproveite e veja como as empresas podem viabilizar o acesso à saúde e ainda reduzir custos.


>>>REFERÊNCIAS:

Dia Nacional do Diabetes. Disponível em:

26/6 – Dia Nacional do Diabetes | Biblioteca Virtual em Saúde MS (saude.gov.br)

Diretriz da Sociedade Brasileira de Diabetes. Edição 2022. Disponível em:

Diretriz da Sociedade Brasileira de Diabetes – Ed. 2022

Diferenças entre diabetes tipo 1 e tipo 2. Disponível em:

Diferenças entre diabetes tipo 1 e tipo 2 (abbottbrasil.com.br)

Mulher Diabética em uma consulta médica

Axenya e HealthCO se juntam para criar um ecossistema de saúde corporativa digitalmente aumentado, fornecendo e gerindo planos de saúde de forma digitalizada e protegendo a saúde do colaborador, de ponta a ponta, durante toda a jornada de cuidado.