Como diminuir o absenteísmo? Veja 3 dicas para lidar com esse problema

Mulher sentada em escritório com olhar preocupado

09 de setembro, 2022

Mulher com olhar preoucpado

Diminuir o absenteísmo passa por identificar as causas e atuar para contorná-las por meio de estratégias eficientes

De acordo com dados coletados pela startup de recursos humanos Levee junto às 500 maiores empresas do Brasil, em média, 5% dos funcionários do setor de serviços se ausentam do trabalho diariamente. Entre empresas do segmento de varejo, as faltas podem alcançar índices que variam entre 7% e 10%, de acordo com o mesmo levantamento. Tais percentuais provavelmente indicam apenas a ponta do problema representado pelo chamado absenteísmo.

Por isso, empresas de diferentes segmentos de atuação e dos mais variados portes procuram investir constantemente em como diminuir o absenteísmo, principalmente diante do impacto que isso causa para a produtividade. Mas como fazer isso de forma eficiente e alcançar os resultados esperados?

O conceito de absenteísmo

Na prática, o absenteísmo não é nada mais do que a ausência do trabalho, por motivos que podem ir desde questões de saúde (como uma emergência médica ou até mesmo um exame de rotina), até problemas que impeçam o colaborador de chegar ao local de trabalho (uma falha no transporte público, entre outros motivos).

Dessa forma, é comum que os setores de recursos humanos da maioria das empresas adotem o conceito de absenteísmo como uma métrica para avaliar o quanto os colaboradores estão se ausentando do expediente em determinado período.

Ou seja: quanto maior o absenteísmo, maior o número de faltas registradas. Isso, claro, pode indicar uma série de problemas sobre a forma como o negócio lida com questões como a infraestrutura, o ambiente organizacional e os benefícios oferecidos aos colaboradores.

Em paralelo, há também o chamado presenteísmo. Ele representa o comportamento que faz com que o funcionário compareça ao ambiente de trabalho sem necessariamente ter as condições para exercer sua função em plenitude.

Problemas de saúde, carga excessiva de trabalho e desconforto com o clima organizacional são algumas das principais causas para esse fenômeno, que também traz impactos consideráveis para a produtividade e, por consequência, para os resultados da empresa.

Causas e consequências do absenteísmo para as empresas

Independentemente de ser justificado ou não, o absenteísmo pode ter diferentes causas e explicações. Muitos desses motivos têm origem no comportamento do funcionário, enquanto outras razões são causadas por problemas gerados pela própria empresa, conforme já mencionamos.

Se faltas por problemas de saúde são “fáceis” de identificar, outras causas do absenteísmo nem sempre são tão óbvias para os gestores. Problemas no ambiente de trabalho, relações conflituosas entre lideranças e subordinados, desmotivação pela distribuição de tarefas, cargos e benefícios e até mesmo o estresse são razões para que o profissional, em algum momento, corra o risco de se ausentar do local de trabalho.

Além do prejuízo à produtividade, a consequência mais óbvia e direta do absenteísmo, no longo prazo, pode gerar outros problemas. Empresas que precisam lidar com altas taxas de ausência do trabalho normalmente têm um maior índice de turnover, por exemplo.

O turnover diz respeito à troca constante no time de colaboradores. Tal fenômeno gera custos com demissões, contratações, recrutamento e treinamento de novos profissionais, o que certamente compromete a qualidade do trabalho desenvolvido pela empresa.

Leia também: Como as empresas podem viabilizar o acesso à saúde e ainda reduzir custos?

3 estratégias de como diminuir o absenteísmo

Alongamento durante trabalho

Mapear as causas e identificar o que leva cada perfil de colaborador a não comparecer ao trabalho ajuda que a empresa adote estratégias eficientes para reduzir o absenteísmo. Dessa forma, ainda que cada lugar precise de soluções particulares para contornar a questão, algumas diretrizes mais gerais podem nortear os primeiros passos, conforme é possível conferir a seguir.

1.Repense a cultura do ambiente de trabalho

Toda a cultura do ambiente de trabalho deve ser repensada para fortalecer a cooperação, o diálogo e o desenvolvimento de um local agradável para todos ali presentes. Isso passa, por exemplo, por desfazer estruturas organizacionais que dificultam a colaboração ou a troca de ideias em prol de soluções para os problemas que aparecem na rotina de qualquer empresa.

Outro aspecto que deve ser considerado na manutenção de um ambiente de trabalho saudável é a valorização de cada membro do time, seja por meio da estruturação de planos de carreira, pela oferta de benefícios condizentes com o posto ou ainda com o reconhecimento pelos bons resultados entregues, por meio de feedbacks constantes e construtivos.

2. Incentive a assiduidade

Na outra ponta, a empresa pode considerar a implementação que premie a assiduidade, recompensando todos aqueles que se manterem por determinado período sem registrar nenhuma falta de trabalho não justificada.

Para que tal estratégia funcione é preciso avaliar o perfil da equipe, mas os incentivos podem ir desde dias de folga adicionais até bonificações em dinheiro no final do ano. Com o devido planejamento, os custos dessas iniciativas serão menores do que aqueles oriundos das faltas excessivas.

3.Fortaleça a saúde e a qualidade de vida da equipe.

Enfrentar o absenteísmo significa também fortalecer a saúde e a qualidade de vida dos colaboradores, de modo que eles sofram menos com problemas que afetem seu rendimento no trabalho.

Assim, entre outras condições (como doenças mentais e aquelas provenientes de lesões por esforço repetitivo), as chamadas doenças crônicas não transmissíveis merecem atenção especial, principalmente pelo seu caráter muitas vezes silencioso e duradouro, com desdobramentos que podem repercutir por toda a vida.

Logo, manejar doenças como diabetes e problemas cardiovasculares amplia a qualidade de vida, reduz o risco de complicações, diminui as taxas de absenteísmo e ainda contribui para a redução dos custos com saúde, outra preocupação de muitas empresas.

Parte das complicações do diabetes, por exemplo, pode ser evitada com a adoção de hábitos saudáveis e o acompanhamento adequado junto aos profissionais de saúde. Nesse contexto, soluções inovadoras fazem toda a diferença. E esse é o foco do trabalho da Axenya, que desenvolve terapias digitais para fortalecer a adesão ao tratamento, promover a mudança de comportamento e incentivar o acesso a informações de qualidade a todo o momento.

Portanto, em todo o caso, saber como diminuir o absenteísmo passa primeiro por identificar suas causas, o que costuma ser uma tarefa complexa. No mais, valorizar a saúde e o bem-estar dos colaboradores quase sempre está no cerne de todas as estratégias implementadas para lidar com esse problema.

Aproveite e veja por que vale a pena investir na saúde dos funcionários?


>>>REFERÊNCIAS:

Absenteeism in the Workplace. The National Institute for Occupational Safety and Health

https://www.cdc.gov/niosh/topics/absences/default.html

Faltas, atrasos e trânsito: um ralo que custa milhões às grandes empresas. Revista Exame.

https://exame.com/negocios/faltas-atrasos-e-transito-um-ralo-que-custa-milhoes-as-grandes-empresas/

Mulher sentada em escritório com olhar preocupado

Axenya e HealthCO se juntam para criar um ecossistema de saúde corporativa digitalmente aumentado, fornecendo e gerindo planos de saúde de forma digitalizada e protegendo a saúde do colaborador, de ponta a ponta, durante toda a jornada de cuidado.