O que são as healthtechs e por que elas são importantes?

Aplicativo de saúde online na tela do smartphone

27 de outubro, 2022

Aplicativo de saúde online na tela do smartphone

Aumentando a eficiência e reduzindo custos, as healthtechs são o próximo passo no cuidado com a saúde de forma integral

Como o avanço da tecnologia, já é comum resolver quase tudo relativo à vida financeira não só por meio de aplicativos, mas junto a instituições financeiras que fazem uso intensivo da tecnologia e que só existem por causa dela: nesse contexto é que surgem as fintechs, união do termo financial e technology, em inglês. Em uma dinâmica similar, o setor de saúde experimenta agora o crescimento exponencial das chamadas healthtechs.

O termo vem da união entre as palavras health (saúde, em inglês) e technology. A disseminação desse tipo de solução no segmento certamente foi acelerada pela pandemia, que exigiu a digitalização de uma série de processos e procedimentos de atendimento. Todavia, isso não vai parar com o arrefecimento da covid-19 e certamente traz junto um enorme potencial para revolucionar o mercado e aliviar os gargalos dos sistemas de saúde.

Afinal de contas, o que é uma healthtech?

Antes de seguir e entender melhor de que forma as healhtechs atuam no mercado de saúde e de que maneira elas impactam positivamente os sistemas de saúde, vale repassar o que efetivamente significa o termo.

Na prática, uma healthtech disponibiliza soluções e ferramentas baseadas em diferentes recursos tecnológicos por meio de softwares ou hardwares. No final da cadeia, isso deve ser empregado para oferecer ou aprimorar tratamentos e aumentar a qualidade do atendimento prestado. Em tal contexto, podem ser utilizados recursos de inteligência artificial, ciência de dados, internet das coisas, geolocalização, entre outros. Em certa medida, é fácil identificar a atuação de uma healthtech, uma vez que esse tipo de empresa, em seus mais diferentes arranjos, procura desenvolver soluções capazes de afetar positivamente cada etapa da jornada do paciente.

É possível traçar uma genealogia para entender melhor onde estamos. Em um primeiro momento, as healthtechs concentravam esforços em soluções de promoção de bem-estar, o que fez com que surgissem relógios que registravam o desempenho em atividades físicas ou ainda aplicativos que contribuam para o acompanhamento de uma dieta. Em seguida, as soluções de telemedicina ganharam espaço, oferecendo consultas remotas e gestão de informação por meio de prontuários eletrônicos. Agora, começamos a entrar em uma fase em que o destaque são as chamadas terapias digitais, recursos capazes de efetivamente melhorar desfechos clínicos, aumentando a eficiência dos tratamentos disponíveis e promovendo uma maior adesão a eles, além de reforçar hábitos positivos e facilitar o acompanhamento da condição.

Leia também: Confira algumas das principais tendências do setor de saúde

Quais os benefícios da atuação das healthtechs?

Senhor sorrindo com atendimento online

Ainda que a ampliação da atuação das healthtechs enfrente algumas barreiras (como a deficiência de infraestrutura digital ou ainda questões relativas à concorrência e à acomodação de diferentes atores do mercado), já é possível vislumbrar os benefícios que elas trazem para o segmento e, para o que mais importa, o bem-estar de quem é atendido pelos serviços.

Promove a eficiência

Com os aperfeiçoamentos propiciados pela tecnologia, os serviços de uma healthtech conseguem ampliar a eficiência de todo o investimento em saúde: a partir disso, todo o paciente consegue receber o atendimento necessário, sempre que preciso. Além disso, algumas ferramentas são capazes de mitigar riscos agindo na prevenção de complicações que estão na raiz não só de custos extras, como também de sofrimento e desconforto adicional para quem sofre com elas.

Amplia a qualidade do cuidado

Toda a jornada de cuidado de um paciente pode ser personalizada a partir de diferentes soluções baseadas no que de mais moderno a tecnologia em saúde oferece. Dessa forma, o paciente pode receber cuidado integral por meio de uma atenção primária, que não foca apenas na resolução de problemas, mas nas necessidades de cada indivíduo. Assim, também podem ser levados em conta na atenção primária os cuidados com aspectos físicos e emocionais, algo essencial em mundo onde o adoecimento psíquico é cada vez mais comum. No fim das contas, o ideal é sempre integrar todos os procedimentos e intervenções e nunca dividir o paciente em compartimentos, algo que fica muito mais fácil com o suporte tecnológico.

Reduz erros

As empresas de healthtech também podem atuar na busca por soluções que visem minimizar o volume de erros médicos, o que favorece a qualidade do atendimento e reduz custos. Para isso, podem ser usados recursos de inteligência artificial ou de análise de dados em diferentes áreas de diagnóstico, por exemplo. Dessa forma, torna-se possível detectar doenças de forma cada vez mais precoce e menos invasiva, o que favorece a chance de desfechos positivos com o tratamento adequado.

Qual o panorama atual das healthtechs no Brasil?

O Brasil conta com um dos maiores mercados de saúde privada e suplementar do mundo. De acordo com a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), em junho de 2022, o país tinha pouco mais de 49 milhões de pessoas com algum tipo de assistência médica privada. Logo, em paralelo, o país se torna um campo fértil para o desenvolvimento de healthtechs, o que já rendeu frutos: um levantamento da consultoria PwC Brasil, mostra que, entre 2019 e 2021, o volume de empresas do segmento cresceu 13,7%.

De acordo com o relatório HealthTech Report 2022, publicado pela startup de dados Distrito, o ecossistema de healthcares no Brasil engloba 1021 empresas, de áreas de atuação que vão desde plataformas de telemedicina a serviços de gestão hospitalar. Ainda conforme o relatório, mais de 60% desses empreendimentos foram fundados após 2016.

Em última instância, as soluções desenvolvidas pelas healthtechs podem ser uma saída para enfrentar a explosão dos custos com saúde e a sobrecarga dos sistemas de saúde, combinando ganhos de eficiência, de diversificação e de efetividade. E um modelo de acesso não deve excluir o outro: o trabalho de uma healthtech pode ser utilizado para otimizar o uso dos recursos de um plano de saúde, por exemplo. Isso torna os custos mais competitivos e eleva a qualidade de experiência do atendimento.

Apesar de tudo, as healthtechs ainda têm uma longa trajetória pela frente. Seja como for, todos devem estar unidos sempre em prol da promoção do bem-estar e da qualidade de vida de quem é atendido. Esse deve ser sempre o intuito de todo o trabalho desenvolvido.

Agora que tal saber mais sobre saúde digital? Confira este outro conteúdo sobre o tema, disponível aqui.


>>>REFERÊNCIAS:

HealthTech Report 2022
https://materiais.distrito.me/mr/healthtech-report

O avanço das healthtechs e a evolução do mercado de saúde
https://www.saudebusiness.com/colunas/o-avanco-das-healthtechs-e-o-novo-momento-para-evolucao-do-mercado-de-saude

Healthcare Technology: What It Is and How It’s Used | Built In..
https://builtin.com/healthcare-technology

A evolução das startups no setor de saúde
https://www.pwc.com.br/pt/estudos/setores-atividade/saude/2022/a-evolucao-das-startups-no-setor-de-saude.html

Saúde na era tech
https://www.uol.com.br/vivabem/reportagens-especiais/healthtechs-o-futuro-dos-planos-de-saude/#coverb

Aplicativo de saúde online na tela do smartphone

Axenya e HealthCO se juntam para criar um ecossistema de saúde corporativa digitalmente aumentado, fornecendo e gerindo planos de saúde de forma digitalizada e protegendo a saúde do colaborador, de ponta a ponta, durante toda a jornada de cuidado.